Trabalhador deve atentar para provas nos casos de assédio moral

O assédio moral é definido como a exposição de uma pessoa a situações humilhantes e constrangedoras, que se repetem com o tempo. Geralmente, a expressão é utilizada em referência a problemas ocorridos durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções.

Caso um trabalhador considere que está sofrendo assédio moral e decida buscar as vias legais para responsabilizar seus empregadores e reparar os danos, é importante ter atenção para a produção de provas que irá sustentar a demanda judicial.

Coleta de provas

O assédio moral pode, inclusive, ser praticado de forma não presencial, por meio de e-mails, mensagens em aplicativos ou redes sociais ou telefonemas. Não importa o meio pelo qual ocorra, é a conduta em si dos empregadores que será avaliada.

Para isso, o trabalhador pode se munir dessas mesmas tecnologias para provar à Justiça que está sendo tratado de forma incorreta e ilegal.

Quando se trata de troca de mensagens ou e-mails, é possível salvar a tela com o chamado “print screen”, seja no computador ou celular. Isso constitui prova legalmente aceita.

Caso a conduta seja realizada, por exemplo, em um grupo de WhatsApp, com um superior hierárquico ou colega fazendo comentário depreciativos e cobranças desmedidas, também o print screen se configura como prova da conduta.

No caso de a situação ocorrer pessoalmente, de forma presencial, também é importante ter algum tipo de registro, seja por meio de testemunhas ou até mesmo gravações ou vídeos.

Caso as pessoas que presenciaram as situações de assédio tenham, por alguma razão, medo ou indisposição para testemunharem, elas podem ao menos colaborar com a obtenção de provas, como prints de mensagens do WhatsApp, por exemplo.

Em alguns casos, as câmeras do circuito interno das empresas podem ser requisitadas, e para isso é importante que o trabalhador anote dia e horário das condutas de assédio para caso o processo judicial venha a ocorrer.

Denunciar sempre

Os advogados e especialistas também indicam que, havendo situação de assédio, é muito importante denunciar pelos canais que estiverem à disposição, buscando impedir e evitar o prosseguimento dessas condutas que causam sofrimento e angústia.

Caso a empresa tenha um departamento de Recursos Humanos ou algum tipo de canal de denúncia, o trabalhador deve utilizá-lo, até para registrar sua insatisfação. Mesmo que não exista esse canal, é importante procurar seus superiores hierárquicos e cobrar providências – registrando também estas conversas, de preferência.

Assim, o trabalhador não só dá ciência a seus superiores e empregadores, mas também deixa registrado que os buscou para solucionar o problema.

Fonte: Sintrial dois vizinhos