Só a defesa irrestrita do SUS e da pesquisa científica podem salvar o Brasil das crises

A crise causada pela pandemia do Coronavírus Covid-19 pegou o Brasil em cheio. Ela somou-se há uma crise econômica que se arrasta pelo país há cerca de meia década e que vem achatando salários, tirando direitos e precarizando o serviço público, afetando principalmente os trabalhadores mais pobres.

Vivemos em um momento de emergência e são nesses momentos que o país precisa dar uma guinada. Esta guinada precisa ser para defender seu povo e construir uma nação mais justa, fraterna e soberana.

A primeira manobra desta guinada é a defesa irrestrita do Sistema Único de Saúde (SUS). O SUS é uma brilhante ousadia criada pela Constituição de 1988, pois é o único sistema de saúde gratuito e universal em uma nação com mais de 100 milhões de habitantes. É dele que todos dependerão no auge desta crise.

Se não fosse por medidas extremamente equivocadas como a nefasta Emenda Constitucional (EC) 95, que congelou o orçamento da União ao orçamento de 2016, sendo reajustado apenas pelo aumento da inflação, o SUS teria chegado bem mais preparado a este momento. Estima-se que o orçamento poderia ser R$ 20 bilhões maior no ano passado, que seria um aumento na casa de 20% do valor total.

Esta emenda constitucional precisa ser revogada imediatamente para permitir que seja reestruturado de maneira completa o SUS, criando-se mais leitos fixos em vários níveis de atenção, assim como o aumento do alcance do atendimento básico com equipes multidisciplinares de saúde da família e acompanhamento preventivo até o último centímetro habitado da nação. Sai mais barato prevenir e também as respostas a novas pandemias que poderão vir serão mais rápidas e efetivas.

Outra manobra desta guinada é o incentivo à pesquisa científica em todos os níveis. Nenhum país do mundo enriqueceu e ofereceu melhores condições de vida para seu povo sem investir massivamente nisso. O Brasil não pode ser um mero reprodutor de conhecimento estrangeiro e ter apenas ilhas de excelência científica. O conhecimento científico brasileiro precisa ser continental como é o porte do país.

A pesquisa científica tem como berço a educação, outra área afetada pela EC 95 e mais um motivo para revogá-la. E para a pesquisa científica prosperar não poderá haver preconceito com nível (básica ou aplicada, nível médio, superior, pós-graduação, centros de pesquisa e etc) e com área de conhecimento (ciências da saúde, humanidades, sociais aplicadas, exatas, agrárias, biológicas e etc).

A ciência é o único modo de compreender e aprimorar todas as relações do país com seu povo, seu ambiente, sua economia e sua cultura. A partir dela será possível criar também uma nova sociedade mais racional com seus recursos, respeite sua população, e que diminua os impactos na natureza, que são em parte culpados pela pandemia e pelas crises econômicas e climáticas.

Fonte: Sintrial-Dois Vizinhos